"Bati-me sempre por coisas que iam além de mim e não olhei a sacrifícios. Fiz o que pude, e quem faz o que pode faz o que deve" - Fernando Valle.
03 de Dezembro de 2010

Aqueles que, hoje em dia, mais se indignam com o despesismo no erário público, indignando-se com gastos que não passam de ninharias orçamentais e esquecendo-se sempre que muitas das ditas "regalias" hoje existentes foram criadas pelos mesmos e até, pasme-se servem aos próprios, como por exemplo:

1. Reformas que se podiam acumular, como são os casos sobejamente sabidos de várias personalidades públicas como Cavaco Silva, Manuela Ferreira Leite, entre outros. (Para o futuro já não é permitido Infelizmente e ao abrigo do preceito constitucional da não retroactividade das leis, essas pessoas continuam a poder usufruir das regalias e privilégios que criaram para si mesmos).
2. Sub-Sistemas de Segurança Social criados em tudo o que era carreira na Administração Pública (caminha-se hoje para um sistema comum a todos, independentemente da sua profissão).
3. Disparidade de anos de trabalho e descontos para a segurança social entre os sectores público e privado, que onera a minha geração e o Estado durante várias dezenas de anos.
4. A contagem da carreira contributiva para efeitos de pensões de reforma. Como é que era possível que apenas se contassem os melhores 10 anos dos últimos 15 de carreira contributiva para efeitos de cálculo de pensão e não toda a carreira contributiva?????????? Gostava mesmo que estes arautos, como é caso o Prof. Medina Carreira, me explicassem isto, porque para mim e milhares de outros portugueses da minha geração não vai ser assim (e bem, diga-se)e vamos ter de pagar com os nossos impostos os privilégios dessa gente.

Bem, como estes exemplos muitos outros poderia estar aqui a enumerar. Mas como dizia anteriormente como é que estas pessoas que se desfilam nos nossos televisores e nos jornais que lemos, têm o desplante de, ainda hoje, falaram com autoridade sobre o que quer que seja relativamente ao futuro do país e se arrogam legitimos representantes do sentir dos portugueses que no futuro vão ter de arcar com os seus disparates.

A todos eles acrescentemos alguns personagens activas da política portuguesa, que ainda hoje se colocam do alto da burra a disparar contra a Governação do PS (que enfrenta um dos períodos mais conturbados do ponto de vista económico à escala mundial e europeia e a este propósito referi-se o profundo retrocesso na construção europeia, influenciada pelos liberalistas económicos que ditam as regras económicas e financeiras na Europa e no Mundo com a mesma autoridade com que nos afundaram numa crise apenas comparável à Grande Depressão do início do Séc. XX). Casos como:

1. Manuela Ferreira Leite. "Autoridade" Financeira em Portugal e que enquanto Ministra da Educação foi um desastre perdendo uma geração em Portugal para as qualificações e enquanto Minstra das Finanças, mais recentemente, foi responsável pelo desastre denunciado hoje no Jornal SOl da transferência do fundo de pensões dos CTT para a Caixa Geral de Aposentações.

2. Paulo Portas que e de acordo com a "Visão" desta semana foi responsável por um contrato para a construção dos submarinos com a Ferrostal que tinha no seu clausulado um valor indemnizatório diário por cada dia que passasse até á adjudicação dos submarinos.

Enfim...

Todavia, esta panóplia de gente que diariamente acusa o Estado de gastador, de mau gestor, de usar o dinheiro dos contribuintes para desperdício, vêm logo a terreiro, eles próprios ou por interpostas pessoas, criticar quando o Estado decide cortar dinheiro que não beneficiando a comunidade, beneficia e de sobremaneira alguns, como é caso mais recente do financiamento que durante anos e anos o Estado dava ao Estabelecimentos de Ensino Privado.

Estas pessoas não se coibem de dizer que o privado é que administra bem, o privado é que gere optimamente. Esquecendo-se sempre de dizer que gerem bem porque as suas receitas vêm directamente do orçamento do estado, como era o caso até aqui das Escolas Privadas. O Governo, e bem, decidiu acabar com a "mama" (desculpem a linguagem, mas é mesmo assim). Mas porque raio é o que o Estado há-de financiar oferta educativa, destinada a cumprir o preceito Constitucional de garantir a todos educação, havendo escolas públicas na região que o possam fazer. Financiam o privado que concorria com o público (por "clientes") e ainda por cima escolhe os que educa (ainda que o não pudesse fazer), ainda por cima mais caro. Inaceitável. A este propósito o Secretário de Estado da Educação escreve um artigo de opinião no jornal Público.

A este propósito, e mais uma vez, veremos os do costume a exaltar o privado e a atacar o Estado por por um lado ser gastador e por outro acabar com privilégios que custaram/custam e podem vir a gastar os Milhões de € que o país não pode prescindir.

Uma nota final: O TGV é tudo menos desperdício. Se há investimento (ou gasto, se quiserem) público que valha a pena é o Futuro. E o futuro do meu país de mim e de todos aqueles que têm a minha idade e mais novos é o facto de podermos estar ao nível do resto da Europa e para isso precisamos de uma infra-estrutura fundamental para o desenvolvimento que é o Comboio de Alta-Velocidade e perdoem-me a dureza, mas porque raio é que há-de ser gaj@s de 50's e mais anos a dizerem-me o que é que deve ser o futuro e onde é que o Estado vai gastar o dinheiro dos meus impostos daqui a 20 e 30 anos.
publicado por Pedro Vaz às 16:12
13 de Agosto de 2010

Uma na Bravo Outra na Ditadura - parte 2/2 from Andre Valentim Almeida on Vimeo.

publicado por Pedro Vaz às 18:43

Doc. sobre a minha geração. A geração nascida nos anos 70. Como disse no fb. Falta-lhe uma síntese. o que somos hoje, as expectativas para o futuro o caminho que queremos para o nosso país.

No entanto indentifica-nos bem. E somos nostálgigos "avant la lettre" :-D

Uma na Bravo Outra na Ditadura - parte 1/2 from Andre Valentim Almeida on Vimeo.

publicado por Pedro Vaz às 18:41
16 de Junho de 2010

É Inaceitável e inadmissível a restricção propositada de acesso a uma profissão por parte de uma corporação de pessoas que a já exercem (como é o caso da Ordem dos Advogados) e ainda para mais acompanhadas pelas declarações do representante dessa mesma corporação que expressa claramente que chumbaram 90% dos candidatos propositadamente.

Noventa por cento de candidatos a advogados chumbados no exame - Sociedade - PUBLICO.PT
publicado por Pedro Vaz às 23:06
14 de Abril de 2009

De acordo com a seguinte notícia do JN o presidente/chefe do Sindicado dos Profissionais de Polícia, António Ramos, na polícia não há homossexuais, porque é um meio muito masculino.

Não sei que diga. Será que as mulheres que fazem parte da PSP, também são muito masculinas? Desde quando é que para ser masculino, não se pode ser homossexual.

Rídiculo. Esse tal de António Ramos não merece representar quem quer que seja na PSP. Sinto pena desse senhor. Isto para não sentir outras coisas.

Com exemplos destes, razão tem Peixoto Rodrigues, Representante do Sindicado Unificado da PSP, em defender políticas anti-discriminação com base na orientação sexual dentro da PSP
publicado por Pedro Vaz às 20:51
18 de Fevereiro de 2009

Um pequeno poema sobre o casamento:

Anormal é o Cardeal.

A resposta aqui
publicado por Pedro Vaz às 19:42
19 de Janeiro de 2009

Militar e ser dirigente da JS vale a pena. Ao longo dos últimos anos temos tido muitas batalhas em prol dos jovens e da nossa sociedade, em geral. Tem valido a pena. Prova disso é a intervenção de José Sócrates ontem no CCB em que apresentou a sua Moção "PS: A Força da Mudança" e defendou o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo e o alargamento para 12 anos da escolaridade obrigatória. Ideias defendidas pela JS. É um orgulho para nós vermos José Sócrates assumir como suas estas batalhas.

Vale a pena a JS e o PS



publicado por Pedro Vaz às 17:07
16 de Dezembro de 2008

publicado por Pedro Vaz às 17:43

publicado por Pedro Vaz às 17:27
25 de Novembro de 2008

Hoje comemora-se o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as mulheres. Por variadas razões que tornam este dia especial para mim. Não podia encontrar dia mais apropriado para se assinalar a luta contra a violência que todos os dias, todas as semanas, todos os meses e todos os anos milhares de milhares de mulheres sofrem apenas por serem mulheres.

Dedico este post a todas as mulheres que sofreram e sofrem fruto a bestialidade do homem. Como homem, peço desculpa por isso.
publicado por Pedro Vaz às 01:44
Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Movimento
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Fica aqui o meu contributo: http://minutoacessivel...
Paula Teles foi-me falada pelo Núcleo de Acessibil...
Paula Teles foi-me falada pelo Núcleo de Acessibil...
Gosto disto, vou começar a seguir o vosso blog.......
Sr Pedro Vaz,Como está tã informado pergunto-lhe s...
pena nao haver mesmo uma rampa para o inferno, par...
Olá Pedro Vaz.Cá o Cidadão abt fez questão em link...
Caro Pedro Vaz,Ja verifiquei o link e devo-lhe um ...
Caro Anónimo:http://dre.pt/pdf2sdip/2009/12/251000...
O LICENCIADO COM PRAZER NA POLÍTICA - PEDRO VAZDes...
blogs SAPO